Leite Creme

Abril 8, 2008 at 1:12 pm (Receitas)

Ingredientes:

• 5 dl de leite
• 5 colheres de sopa de açúcar
• 5 gemas
• 1 colher de sopa de farinha de trigo
• 1 casca de limão
• Cerca de 100g de açúcar para queimar

 

Confecção:

Bater as gemas com o açúcar e a farinha.

Juntar o leite fervido com a casca de limão e cozer em lume brando.

Deitar numa travessa, deixar arrefecer e polvilhar com açúcar, que é queimado com um ferro em brasa.

Permalink Deixe um Comentário

Escabeche de Peixes do Vouga

Abril 2, 2008 at 9:46 am (Receitas)

Ingredientes:

  • Peixes do rio
  • Azeite ou óleo
  • Sal
  • Alho
  • Louro
  • piri-piri
  • Vinho branco
  • vinagre

Confecção:Amanham-se os peixes, lavam-se com água limpa, temperam-se com sal e deixam-se ficar cerca de 3 horas a tomar o gosto.Fritam-se os peixes no azeite ou óleo, reservando-o para fazer o escabeche: junta-se-lhe alho cortado, louro, piri-piri, vinho branco e vinagre a gosto.Leva-se ao lume este molho deixando ferver para apurar o gosto e deita-se depois sobre o peixe.Para melhor sabor, o peixe deve ficar alguns dias de molho.

Permalink Deixe um Comentário

Martifer inaugurou primeiro protótipo de seguidor solar

Março 12, 2008 at 11:34 am (Notícias)

A Martifer inaugurou, na passada sexta-feira, dia 29 de Fevereiro, o primeiro protótipo de seguidor solar, que está localizado na rotunda que se encontra junto às instalações do Grupo. O protótipo tem uma potência máxima de 30kw, que deverá corresponder a uma produção anual de 55,8 Mwh, e promete revolucionar o mercado solar em Portugal, mas também nos países onde esta empresa tem investido nesta área. A inauguração contou com a presença de Luís Vasconcelos, presidente da autarquia local, Jorge Martins, responsável do Grupo, e outros intervenientes da Martifer e do concelho.A Martifer implantou na zona industrial de Oliveira de Frades, onde tem as suas instalações em pleno desenvolvimento, o primeiro protótipo de seguidor solar, que tem como objectivo o aproveitamento de espaços para a produção de energia a partir de fontes renováveis, neste caso o sol. O protótipo foi desenvolvido pela Martifer Energy Systems, a estrutura tem uma área disponível para instalação de painéis fotovoltaicos de 234 metros, embora esteja mais alto do que irão ficar idênticas estruturas, no sentido de não tapar a visibilidade de todos os que transitam nas vias que ligam a esta rotunda. Refira- se que o protótipo de seguidor solar implantado é um dos maiores no mercado internacional e o maior do mercado português, resolvendo algumas lacunas dos modelos que actualmente existem no mercado. Ao bom estilo deste Grupo, que tem dado nas vistas pela capacidade de iniciativa e de investimento, este projecto foi desenvolvido em apenas três meses. O seguidor solar pretende aproveitar ao máximo o ângulo de incidência dos raios solares, que, devido ao constante movimento da Terra, vai variando ao longo do dia, fazendo com que as instalações fotovoltaicas fixas apenas consigam converter em energia eléctrica uma pequena parte da radiação proveniente do Sol. Este modelo, através de um programa astronómico, consegue saber, apesar das condições atmosféricas, saber onde está o astro rei. Para reduzir as eventuais perdas, este seguidor solar é capaz de orientar um conjunto de 168 painéis fotovoltaicos em direcção ao Sol, traduzindo-se em ganhos de produção energética na casa dos de 30% a 40%. Na hora dos discursos, uma das características referenciadas que distingue este produto “é a adaptação a qualquer tipo de painel fotovoltaico existente no mercado”. A segurança está também garantida, visto que a estrutura é capaz de suportar ventos até 140km/hora, um factor que também foi acautelado, especialmente tendo em vista a altura do modelo. Desenvolvimento sustentável Com a produção deste seguidor solar, a Martifer pretende “não só responder em tempo útil às necessidades dos actuais mercados, mas também intervir ao nível do aproveitamento de espaços para a produção de energia a partir de fontes renováveis, e contribuir para a preservação dos bens ambientais e para o desenvolvimento sustentável”.in Notícias de Vouzela

Permalink Deixe um Comentário

Banda de Música aposta na juventude

Março 5, 2008 at 11:03 am (Bandas, Notícias) (, , , , )

A Banda de Música de Oliveira de Frades tem novos Corpos Sociais, onde a grande novidade é a entrada de elementos mais jovens. Uma opção que certamente ajudará a escrever da melhor forma a história desta Banda que já conta com 75 anos de existência.

A Banda de Música de Oliveira de Frades tem novos Corpos Sociais, eleitos no passado sábado, dia 23 de Fevereiro. Entre as novidades, destaque para a presença de elementos mais jovens na condução dos destinos desta entidade. A entrada de um maior número de mulheres é também um ponto favorável para esta Banda que pretende assim apostar na diversidade, de maneira a encontrar o maior número de soluções possível para a Banda. Afinal, é preciso não esquecer que, como outras colectividades, também a Banda de Música oliveirense tem momentos de maior e menor visibilidade que precisam de ser geridos. A actual organização das sociedades, tão diferente de tempos idos, nem sempre facilita a construção de um caminho regular, daí a procura de novos métodos.

Escola é parte essencial

A escola de música tem vindo a realizar um importante trabalho de rejuvenescimento da Banda. “Para voltarmos a ter a regularidade que existiu em tempos, é necessário trabalhar neste sector, que já começou a dar frutos”, sublinhou Nelson Almeida, aquando do aniversário da Banda, no final do ano transacto. Relembre-se que as Bandas, especialmente na região de Lafões, têm sobrevivido e crescido muito em função da estruturação das suas próprias escolas, pois só desta forma poderão assegurar o funcionamento da Banda e também uma maior contribuição para a sociedade. A importância dos mais novos é assim reconhecida pelos recentes Corpos Sociais, que integram também antigos dirigentes.

in Notícias de Vouzela

Permalink Deixe um Comentário

Cinco milhões de euros para Ecopista intermunicipal

Fevereiro 27, 2008 at 10:54 am (Notícias) (, , , , , , , , , , )

Os municípios de Viseu, S. Pedro do Sul, Vouzela, Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga e Oliveira de Frades estiveram reunidos na passada segunda-feira, dia 18 de Fevereiro, na vila Oliveirense, para definir alguns pontos chaves da Ecopista que ligará Viseu a Sernada do Vouga, num total de 75 quilómetros. Os responsáveis vão elaborar uma candidatura ao QREN, num investimento que vai ultrapassar os 5 milhões de euros.Ainda não há prazos definidos, mas os parceiros já chegaram a um entendimento no que toca à candidatura a realizar para que a ecopista entre os concelhos de Viseu e de Albergaria-a-Velha seja uma realidade. Serão 75 quilómetros idênticos aos que Viseu já tem construídos, com todas as condições para ciclistas e peões desfrutarem de paisagens únicas e de uma forma mais saudável de fazer exercício físico. A reunião juntou à mesma mesa representantes dos concelhos de Viseu, S. Pedro do Sul, Vouzela, Águeda, Sever do Vouga, Albergaria-a-Velha e Oliveira de Frades, assim como um elementos da CCDRC – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e da REFER. Foi, aliás, esta última entidade que apresentou o estudo prévio que envolve este projecto. Apesar de ainda não existirem datas, a reunião serviu para definir prioridades e outras características do empreendimento, que será em tudo semelhante ao que existe em Viseu, troço do Dão. Os 75 quilómetros que vão ligar Viseu a Sernada do Vouga, concelho de Albergaria- a-Velha, vão possibilitar uma candidatura intermunicipal ao próximo quadro comunitário – QREN. Luís Vasconcelos, que foi o anfitrião desta reunião de trabalho, avançou que o investimento será superior a cinco milhões de euros. “É um projecto que engrandece todos os envolvidos e que vai trazer mais-valias incontestáveis a parte dos municípios que integram a Associação de Municípios do Dão-Lafões e a Associação de Municípios do Baixo Vouga”, frisou o edil.

Outras infra-estruturas

Quanto a outras infra-estruturas de suporte a este equipamento, terá de ser a Câmara Municipal de Oliveira de Frades a suportar eventuais iniciativas neste campo. “A candidatura que vai ser preparada só contempla a ecopista propriamente dita. Se considerarmos vantajoso avançaremos com estudos e com a respectiva construção de, por exemplo, sanitários”, verbalizou Luís Vasconcelos. Uma ideia que é bem vista pelos actuais utilizadores da ecopista. “Penso que será de pensar na hipótese de construir pequenos bares e sanitários de apoio, que podem abrir só ao fim-de-semana ou nos picos de maior utilização. Afinal, é compreensível que não seja possível manter este tipo de serviço sempre em funcionamento”, referiu Manuel Silva, um dos ciclistas que já é um adepto deste tipo de estrutura.

Concelho de Oliveira de Frades

A ecopista sempre foi defendida pelo actual executivo camarário, que vê neste equipamento uma forma de dar aos munícipes melhor qualidade de vida. Foi neste âmbito que procedeu à limpeza e desobstrução da antiga linha-férrea na maior parte da extensão que atravessa o concelho. As bermas foram roçadas, os carris retirados e levados a cabo outros arranjos que permitem que, mesmo em terra batida, sejam muitos a utilizarem este espaço. Os fins-de-semana são os dias preferidos das populações que aproveitam os tempos livres para conhecer a ecopista na sua extensão e também as paisagens tão famosas do nosso concelho. “É uma forma de descontrair e de fazer exercício físico de uma forma mais agradável”, sublinha um dos frequentadores que tem encontrado muitos ciclistas nos seus passeios. “Quando comecei a fazer este percurso, Nespereira – Povoa, nunca pensei encontrar ninguém, mas a verdade é que ainda no outro dia me cruzei com três grupos grandes de ciclistas”. Está assim aberto o caminho a que este investimento reforce hábitos que já começam a perpetuar na região.

in Noticias de Vouzela

Permalink Deixe um Comentário

Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades

Fevereiro 20, 2008 at 11:25 am (Uncategorized)

Historial

A Associação dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades foi fundada em 10 de Novembro de 1929. Trabalharam para tal fim os Srs. Dr. Arménio Maia, Hernâni Almeida da Costa Soares, Camilo Augusto Costa, etc. Tinha esta corporação a seu cargo a banda de Música, por isso designada Banda dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades.

Do seu material de socorros, faziam parte duas moto-bombas, um pronto-socorro adquirido por 70.000$00 e uma moto-bomba de profundidade, esta, adquirida recentemente e comparticipada pela Direcção dos Serviços de Incêndio da Zona Norte.

O corpo activo era composto por 18 voluntários de 1ª e 2ª classe; e o número de associados que rondava os 80, número assaz pequeníssimo para se poder manter uma corporação de Bombeiros.

Mesmo assim tinha a actual Direcção assente um plano de actividades que consistia em estudar as possibilidades da construção de um edifício próprio, o que os assemelhava bastante difícil.

Nesse edifício ficariam instalados os serviços da sede e quartel, e ainda um salão de festas. Claro que isto só era possível dada a muita compreensão da parte de todos, o que em boa verdade podia acontecer e se podia esperar desta boa gente de Oliveira de Frades.

Direcção:

Presidente: Dr. Diamantino Pires de Bastos;

Vice-Presidente: Francisco Barros Teixeira da Silva;

Vogal: Carlos Alberto Pereira da Silva;

Tesoureiro: Francisco da Silva Moreira;

Secretário: Prof. José Fernandes Tojal.

Corpo activo:

Chefe:
João Girão
Cecília Farreca
José Ferreira
Abílio Sousa
Manuel Neves
José Pereira
Manuel Almeida
António Loureiro
José Castanheira
Bombeiro de 1ª:
Jaime Fernandes
Manuel Almeida
Carlos Marques
António Pereira
Carla Farreca
José Santos
Carlos Oliveira
Fernando Sousa
Mário Marques
Luís Lima
Luis Almeida
Anibal Malafaia
Maria Henriques
Paulo Henriques
João Loureiro
Luis Marques
Manuel Pereira
Abel Loureiro
Paulo Jordão
Victor Castanheira
Sandra Farreca
Maria Rocha
Carlos Malafaia
Fernando Malafaia
Humberto Henriques
João Silva
Jorge Ferreira
Luis Neves
Luis Silva
Luis Tavares
Pedro Neves
Rui Duarte
Albertino Gonçalves
Angelo Rodrigues
Carina Fernandes
José Marques
Nuno Reis
Antero Lopes
Fernando Ferreira
João Ribeiro
Abel Ferreira
José Almeida
Fernando Pereira
João Ferreira
José Joaquim
José Rodrigues
Paulo Fernandes
Victor Almeida
Fernando Marques
Luis Fernandes
Pedro Silva
Fernando Santos
José Pereira
José Silva
Maria Rocha
Paulo Pereira
Adroaldo Fernandes
Ana Coutinho
António Castro
Arlindo Oliveira
Bruno Pereira
Carlos Lopes
Francisco Neves
João Loureiro
José Coutinho
Leonel Silva
Luis Jesus
Nelson Serra
Nuno Maria
Nuno Fernandes
Paula Cruz
Pedro Loureiro
Pedro Ferreira
Ricardo Dias
Sónia Silva
Aspirante – José Jordão
Aspirante – Luis Castro
Aspirante – José Dias
Aspirante – Paulo Dias
Aspirante – Silvio Serra
Aspirante – Paulo Rocha
Aspirante – Luis Carvalho
Aspirante – António Silva
Aspirante – Fernando Lourenço
Aspirante – Luis Couceiro
Aspirante – Clara Ferreira
Aspirante -João Lourenço
Aspirante – Paulo Sousa
Aspirante -Pedro Fernandes
Aspirante – Olívia Pinto
Aspirante – Luis Campos
Aspirante – Carlos Rodrigues
Aspirante – Nuno Pereira
Aspirante – Marco Marques
Aspirante – Maria Silva
Aspirante – Maria Viegas
Aspirante – Victor Fernandes
Aspirante – João Simões
Aspirante – Sérgio Pereira
Aspirante – João Santos
Aspirante – Luis Almeida
Aspirante – Ricardo Pereira
Cadete – Angela da Silva Vaz
Cadete -David Correia
Cadete – Ricardo Ferreira
Auxiliar – José Pereira
Auxiliar – Mário Matos
Motorista – Joaquim Pinhão
Motorista – Lino Martins
Motorista – Celestino Figueiredo
Motorista – Celso Matos
Motorista – Eduardo Rodrigues
Motorista – Laurentina Ferreira
Motorista – Alberto Garcia
Motorista – Jaime Serra
Motorista – Custódio Alegria

Permalink Deixe um Comentário

Misericórdia – Nossa Senhora dos Milagres

Fevereiro 20, 2008 at 11:10 am (Associações)

Historial

Foi baptizada com o nome de Nossa Senhora dos Milagres e nasceu muito tempo depois, mais de quatro séculos, da de Lisboa, exactamente em 23 de Janeiro de 1930, data em que foram aprovados os estatutos.

O nome de baptismo, religioso e cristão como era usual, veio a verificar-se profético e acertado, bem escolhido, epifânico até, pois o primeiro milagre de Nossa Senhora, nesta misericórdia, viria a acontecer anos depois, com a revelação de manifestação de um hospital que seria, por largos anos, o enlevo e orgulho das gentes da nossa terra, um autentico milagre no seu funcionamento e actividade social.
Jardim de Infância

O Jardim de Infância Nossa Senhora dos Milagres de Oliveira de Frades é inaugurado em Setembro de 1983, sendo então provedor o Sr. Adamastor Augusto Ferreira.

Com o aumento populacional, surge a necessidade de criar respostas sociais para crescente procura das famílias, relativamente aos serviços prestados à primeira infância. Assim sendo, criaram-se mais três valências: Creche, Pré Escolar e A.T.L..

Os serviços do Jardim de Infância, contam actualmente, com cerca de 170 crianças com idades compreendidas entre os três meses e os dez anos, distribuídos pelas três valências. Estas são apoiadas por uma equipa constituída por:

  • 5 Educadoras de infância
  • 11 Auxiliares de Educação
  • 5 Auxiliares dos Serviços Gerais
  • 2 Cozinheiras (uma das quais acumula funções de costureira)
  • 2 Operadoras de Lavandaria (Serviço comum ao Lar)
  • 1 Motorista

Creche
Inaugurada em Novembro de 2005, acolhe crianças dos três meses aos três anos de idade.

A creche tem como objectivos:

Proporcionar o bem estar e desenvolvimento integral das crianças num clima de segurança afectiva e física, durante o afastamento parcial do seu meio familiar através de um atendimento individualizado;

Colaborar estritamente com a família numa partilha de cuidados e responsabilidades em todo o processo evolutivo das crianças;

Colaborar de forma eficaz num despiste precoce de qualquer inadaptação ou deficiência assegurando o seu encaminhamento adequado;

Pré-escolar
Acolhe crianças dos três anos aos seis anos de idade e com capacidade para 75 crianças. Distribuídas pelas salas dos três, quatro e cinco anos.

O Pré-escolar tem como objectivos:

Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base em experiências da vida democrática numa perspectiva de educação para a cidadania;

Contribuir para a igualdade de oportunidades no acesso à escola e para o sucesso de aprendizagem;

Estimular o desenvolvimento global de cada criança, incluindo comportamentos que favoreçam aprendizagens significativas e diversificadas;

Despertar a curiosidade e o pensamento crítico;
Proceder à despistagem de inadaptações, deficiências e precocidades, promovendo a melhor orientação e encaminhamento da criança;

Incentivar as famílias no processo educativo e estabelecer relações de efectiva colaboração com a comunidade.

Actividades dos Tempos Livres
Acolhe crianças dos seis aos dez anos de idade e com capacidade para 55 crianças.

O A.T.L. tem como objectivos:

Permitir a cada criança, através da participação na vida em grupo e a oportunidade da sua inserção na sociedade;
Criar um ambiente propício ao desabrochar da personalidade de cada criança, de forma a ser capaz de se expressar num clima de compreensão, respeito e aceitação de cada um;

Fornecer a inter-relação família/escola/comunidade, em ordem de uma valorização, aproveitamento e rentabilidade de todos os recursos do meio;

Proporcionar uma vasta gama de actividades que as crianças possam escolher e participar livremente, considerando as características dos grupos, tendo como base o maior respeito pela pessoa.

Apoio à 3ª Idade

Lar e Centro de Dia

Face a enorme procura de respostas sócio – familiares, também por parte dos próprio idosos, surge a necessidade de criação de estruturas/equipamentos, no sentido de dar resposta às necessidades apresentadas por esta população, que tem sofrido um crescente aumento nos últimos anos.

Com esta necessidade surge a criação das valências de Lar e de Centro de Dia em Janeiro de 1989, visando essencialmente dar uma resposta social em alojamento colectivo de utilização temporária ou permanente.

Este equipamento (o Lar) destina-se:

A acolher pessoas idosas, a cujas situações não é possível dar outra resposta;

Proporcionar serviços permanentes e adequados à situação das necessidades dos residentes;

Contribuir para o desenvolvimento normal do processo de envelhecimento, evitando a sua degradação;

Prestação de apoios necessários às famílias dos idosos, no sentido de fortalecer a relação inter – familiar, e preservar sempre, sempre que possível, os laços familiares.

Os Centros de Dia de Oliveira de Frades e de Ribeiradio (inaugurado em 2002), visam proporcionar a prestação de um conjunto de serviços que permitam a manutenção do idoso no seu meio, garantindo a satisfação das suas necessidades básicas, a prestação do apoio psicossocial, e sobretudo um incremento de relações interpessoais, de forma a evitar o isolamento.

Em Julho de 1997, a Misericórdia Nossa Senhora dos Milagres construí cinco vivendas a pensar nas pessoas que querem manter a sua privacidade ou liberdade.

O apoio prestado consiste no fornecimento de alimentação, serviço de higiene, limpeza e tratamento de roupa.
Face a crescente procura deste serviço, inauguraram-se em Janeiro de 2001 mais quatro vivendas.
O Lar/Centro de Dia apoia no total 62 idosos e nas vivendas 13 idosos, contando com a seguinte equipa:

1 Directora Técnica

1 Médico (Voluntário)

1 Enfermeiro

1 Animadora Sócio – Cultural

21 Ajudantes de Lar e Centro de Dia

2 Cozinheiras

3 Ajudantes de Cozinha

Apoio domiciliário integrado

Em Maio de 2002 surge o Serviço de Apoio Domiciliário Integrado na freguesia de Ribeiradio e em Agosto de 2004 em Oliveira de Frades, pretendendo a Misericórdia de Nossa Senhora dos Milagres com esta valência, dar uma resposta adequada a todos os idosos no seu domicílio.

Esta resposta social traduz-se na prestação de cuidados individualizados e personalizados no domicílio, em indivíduos e famílias, que apresentam situações de doença, deficiência, ou outros qualquer impedimento, que não possam assegurar temporária ou permanentemente, a satisfação das suas necessidades básicas diárias.

Este serviço pretende assegurar essencialmente:

Cuidados de higiene e conforto do idoso;

Arrumação e pequenas limpezas;

Confecção, transporte e distribuição diária das refeições;

Tratamento das roupas;

Realizar no exterior os serviços necessários aos utentes e acompanhá-los nas suas deslocações e actividades de animação;

Acompanhamento ao nível da saúde.

Estes serviços apoiam actualmente 49 idosos e contam com a seguinte equipa:

1 Directora Técnica

Enfermeiros de Centro de Saúde de Oliveira de Frades

10 Ajudantes Familiares

Hospital de Internamento de Estadia Média e Prolongada

Em virtude das antigas instalações do Centro de Saúde terem sido entregues à Misericórdia Nossa Senhora dos Milagres, foram feitas obras de remodelação e adaptação para um hospital de internamento de estadia media e prolongada.
Esta obra foi inaugurada em Novembro de 2005.

Este serviço tem com o objectivo, dar cobertura aos doentes internados nos hospitais distritais e centrais que estando em convalescença poderão faze-lo nesta unidade de internamento ficando, desta forma, mais próximos dos familiares, amigos e vizinhos, contribuindo, naturalmente, para a amigos rápida recuperação dos doentes.

Paralelamente, existe também uma clínica que desenvolvera os seguintes serviços:

Consultório de especialidade medica;

Fisioterapia;

Analises clínicas;

Radiologia;

Ecografia.

Permalink Deixe um Comentário

Museu Municipal de Oliveira de Frades

Fevereiro 13, 2008 at 4:23 pm (Museus) (, , , , , )

 Inaugurado no dia 7 de Outubro de 2001, o Museu das Técnicas Rurais – Museu Municipal de Oliveira de Frades tem-se revelado uma estrutura de inegável interesse para o concelho e para a região.

As suas colecções são constituídas fundamentalmente por objectos etnográficos, ligados ao mundo rural, como a designação do Museu o indica, e por objectos arqueológicos provenientes de monumentos espalhados pelo território concelhio.

Os objectos expostos, referências históricas do Município, estão distribuídos por diferentes espaços temáticos.

O percurso expositivo inicia com a uma caracterização geográfica, geológica e botânica da sub-região de Lafões, com características semelhantes aos concelhos que a constituem (Oliveira de Frades, Vouzela e S. Pedro do Sul).
Segue-se depois o “Espaço Arqueológico”, onde estão expostos vestígios materiais da passagem do Homem ao longo dos tempos pelo território concelhio. Neste espaço podem ver-se objectos do Neolítico (espólio encontrado nas escavações do Dólmen de Antelas), da época castreja (mós e fragmentos de cerâmica encontradas em vários castros) e da época romana. Desta época, destacam-se as moedas, os fragmentos de cerâmica e os marcos miliários, que pelas suas dimensões, “marcam” o percurso neste espaço.

Da passagem do Espaço Arqueológico para a sala seguinte é abordado abreviadamente o tema “O profano e o sagrado coabitam no quotidiano do
agricultor”, onde pode ser observada uma estela funerária medieval, entre outros objectos.

O espaço que se segue é o “Espaço Rural”, no qual estão expostas as alfaias e os objectos agrícolas mais representativos dum quotidiano passado das gentes destas terras, que era marcado pelo ciclo do pão, do vinho e do azeite. Os objectos aqui expostos (o arado, a charrua, o carro de bois, a enxada, o mangual, a gadanha, a foice, a dorna, as mós do moinho, a pia do azeite, a pá do forno,…), ainda que conhecidos e utilizados actualmente, tendem a ser “esquecidos e a perderem-se”, pela crescente utilização de alfaias mecanizados (como os tractores e as ceifeiras) que poupam tempo e suor ao agricultor e pela mudança dos hábitos e costumes das populações.

Numa área de passagem para o segundo piso, pode ser observado um painel de fotografias que representam as diferentes vias de comunicação que atravessam o concelho: a via romana, o caminho de Santiago, a estrada real, o caminho-de-ferro (linha do Vale de Vouga) e o itinerário principal.

Passa-se por “Uma viagem ao tempo dos moinhos de água”, funcionando o rodízio, o arreeiro e os aguilhões como memória dos moinhos que hoje estão desactivados e abandonados.

No espaço “Um Município em construção” estão expostos objectos que estão relacionados com a história do Município, como é o caso do exemplar do Diário do Governo onde foi publicado o Decreto de D. Maria II que restaurou definitivamente o concelho (7 de Outubro de 1837), ou do primeiro livro de Actas da Câmara Municipal. Ainda neste sector, pode ser visto o núcleo da “Aferição de Pesos e Medidas”, constituído pelos utensílios de aferição da Câmara Municipal.

De seguida avança-se para a área das “Artes e Ofícios”, onde encontramos a madeira e o carpinteiro, o ferro e o ferreiro, a pedra e o pedreiro e o linho e a tecedeira. O percurso museológico neste local tem como objectivo dar uma ideia de continuidade das memórias de uma oficina que encerrou e cujos instrumentos e ferramentas ficaram arrumadas, “paradas ou adormecidas”, ainda que incorporadas, em moldes diferentes, num espaço museológico. Desta forma, o visitante pode ver ferramentas que estão associadas a cada um desses artífices: carpinteiro (plainas, serras, enxós, grelopas,…), o ferreiro (a safra com bigorna, as tenazes, o fole,…), o pedreiro (os picos, os guilhos, a zorra, a picola,…) e a tecedeira (o sarilho, o tear, a lançadeira,…).

O Museu goza de uma situação geográfica privilegiada, oferecendo condições favoráveis para a atracção turística e para ser ponto de partida para a descoberta do concelho de Oliveira de Frades.

Permalink Deixe um Comentário

ASSOL

Fevereiro 13, 2008 at 4:09 pm (Associações) (, , , , )

 Em 1986, um grupo de pessoas de Oliveira de Frades, de diferentes quadrantes profissionais fizeram um levantamento, no concelho, das pessoas com deficiências e das suas reais condições de vida, tendo identificado 150 pessoas com deficiência.

A fundação da ASSOL foi um instrumento para dar resposta às necessidades destas pessoas.
Da fundação aos seus quinzes anos de actividade a ASSOL percorreu um caminho cujos marcos principais são:

– 24 de Janeiro de 1987

Encontro para apresentação do levantamento realizado pela Equipa Multi – Profissional de Apoio ao Desenvolvimento da Criança de Oliveira de Frades.

– 22 de Março de 1987

Escritura de constituição, no Cartório Notarial de Oliveira de Frades.

– 13 de Fevereiro de 1989

Entrada efectiva dos primeiros formandos do primeiro curso de formação profissional, o que marca o início do apoio a pessoas com deficiência.

– Janeiro de 1991

Assinatura do Acordo de Cooperação com o Ministério da Educação

– Abril de 1991

Abertura do Centro de Actividades Ocupacionais

– Maio de 1991

Abertura da dependência de S. Pedro do Sul

– Outubro de 1993

Início do apoio Domiciliário

– Novembro de 1995

Abertura do Lar de Apoio José Pedro em Caveirós de Cima – Cambra – Vouzela

– Ano de 1997

Foram formalizadas as primeiras famílias de acolhimento

– Janeiro de 1998

Início dos cursos de Formação Profissional em Tondela

– Setembro de 1999

Criação do Fórum Sócio Ocupacional

– Outubro 2000

Trespasse da estrutura de formação de Tondela para a Cooperativa VÁRIOS

– Maio 2001

Início dos cursos de formação profissional em Castro Daire

– Fevereiro de 2004

Inauguração das novas instalações em S. Pedro do Sul

 Objectivos e princípios:

Os estatutos estabelecem como objectivo da ASSOL “contribuir para a promoção dos deficientes dos concelhos de Oliveira de Frades, Vouzela e S. Pedro do Sul”.

“Contribuir para a promoção” traduzimos hoje, por disponibilizar apoios que permitam a cada pessoa exercer o seu direito à autodeterminação, isto é tomar por si as decisões que afectam a sua vida.

O exercício da autodeterminação tem como condições que a pessoa possa:

  •  Expressar os seus sonhos;
  •  Fazer escolhas;
  •  Participar na definição do seu percurso individual;
  •  Participar na solução dos seus problemas;
  •  Aprender nos contextos – aprender fazendo;
  •  Usufruir da rede social;
  •  Ter controlo sobre os acontecimentos da sua vida.

Princípios Éticos:

  •  Negociar as acções de apoio com cada pessoa e a sua rede familiar e social;
  •  Trabalhar em parceria com a rede de serviços da comunidade;
  •  Apoiar é ajudar a pessoa a superar as limitações que encontra para participar nas diversas situações e locais da sua comunidade;
  •  Respeita as motivações da pessoa e reforçar a sua autonomia para se torne menos dependente dos apoios institucionais;
  •  O apoio a cada pessoa deve ser o suficiente para que a pessoa possa utilizar os recursos da sua comunidade na medida das suas capacidades e das suas necessidades;
  •  Apoiar para melhorar a qualidade de vida;

Sendo um dos direitos dos utentes usufruir da rede social a ASSOL tem como grande linha de orientação mobilizar todas as pessoas, todos os serviços públicos, empresas e estruturas sociais no apoio às pessoas com deficiência.

Modelo Organizativo da Associação:

– Direcção

 Funções de representação, de controlo e de decisão.

– Director técnico

 Funções executivas, ou de gestão corrente.

– Serviços

 Organizam-se em unidades funcionais autónomas, devidamente interligadas.

A interligação é assegurada pelo Conselho Técnico composto por um representante de cada unidade e pelo Director.

Permalink Deixe um Comentário

Rancho Folclórico de Nespereira

Fevereiro 13, 2008 at 11:41 am (Uncategorized)

Situada na parte mais ocidental da Beira Alta, a aldeia de Nespereira está inserida na Região de Lafões, Concelho de Oliveira de Frades. Região afamada pelo Vinho Verde, Vitela de Lafões e Cabrito da Gralheira. “A doce acalmia e o acolhedor coração das gentes da região entoa na alma de quem nos visita”.

Num passado recente, os rapazes e raparigas encontravam-se, espontaneamente, no adro da nossa capela, numa eira ou num terreiro e, ao som do “estrondo” realizava-se o baile. Eram, essencialmente, danças de roda e viras. Mais tarde, surgem os entremezes, representações teatrais, que chegaram a ser apresentadas na capital do país para os nossos conterrâneos e não só.

Na preparação das tradicionais festas do nosso padroeiro, decorria o ano de 1988, é incutido o gosto do Folclore aos jovens da aldeia. Esta ideia floresce e surge o Rancho Folclórico de Nespereira.

O Rancho Folclórico de Nespereira tem como principais objectivos, manter e preservar as tradições antigas e quase perdidas. As nossas danças e os nossos cantares tentam retratar a beleza, a par da simplicidade, do bom povo que no passado assim cantou e dançou.

As danças mais características que apresentamos são: «Vira flor», «Agora é que pinta o bago», «Estas é que são as saias», «Hei-de pedir à Virgem», «Vira Valseado», etc. Estas mesmas danças encontram-se gravadas em cassete-áudio e CD.
Os trajes que apresentamos são de Romaria, de Feira, de Trabalho, Moleiros e Domingueiro.

Actualmente, o Rancho Folclórico é composto, aproximadamente, por 60 elementos, distribuídos por vozes, instrumentos e pares de dança.

Permalink Deixe um Comentário

Next page »